(34) 3317-5555 Celso 34 99105-5559 Boi 34 99281-6000 Cotação do Leite

Notícias

Voltar

Megaleite movimenta a capital e fecha 30 milhões em negócios

26/06/2019
Megaleite movimenta a capital e fecha 30 milhões em negócios

A Megaleite movimentou o Parque de Exposições da Gameleira e a economia de Belo Horizonte nesta segunda quinzena de junho. O evento aconteceu pela quarta vez na Capital, e está na sua 16ª edição, com movimentação recorde e mais de R$30 milhões em negócios diretos, realizados dentro do parque de exposições, sem contar às parcerias que foram iniciadas durante a feira e que se concluídas, podem elevar o faturamento para R$50 milhões.

 

De quarta feira (19) até sábado (22) passaram pelo Parque da Gameleira mais de 70 mil pessoas, incluindo delegações do Panamá, México, Guatemala, El Salvador, Costa Rica e Colômbia, além de produtores do gado Girolanda de todo o Brasil, espécie que é a estrela do evento. A Megaleite é promovida pela ABCG – Associação Brasileira de Criadores de Gado Girolando, entidade fundada em 1978 por pecuaristas de Uberaba e que tem 4.324 associados.

 

A raça é um cruzamento promovido pela medicina veterinária Brasileira e vem da união genética das raças Gir e Holandesa, criada no Brasil para suportar o clima e as intempéries naturais, com maior capacidade de adaptação aos pastos brasileiros. O Girolando existe há 41 anos, mas foi somente em 1989 que passou a ser considerada como espécie reconhecida pelas autoridades sanitárias brasileiras. Existe no Brasil um rebanho de sete milhões de cabeças de Girolando produzindo 80% do leite consumido no país, segundo dados da Embrapa.

 

35 bilhões de litros de leite anualmente

São produzidos anualmente 35 bilhões de litros de leite, de acordo com o presidente da ABCG, Luiz Carlos Rodrigues. “O Brasil é o 4º produtor mundial e Minas Gerais é o maior no ranking de leite do país com produção de nove bilhões de litros por ano, seguido de Paraná e Santa Catarina”, afirma o presidente que aproveitou para elogiar o governo de Minas pelo apoio ao evento.

 

Ele destaca o trabalho da Codemge (Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais) por ter compreendido a importância da transferência do evento de Uberaba para Belo Horizonte. “Embora a sede da ABCG seja em Uberaba e tradicionalmente o evento ocorresse lá, a transferência para BH alavancou os negócios e agradou aos nossos associados”, salienta. Luiz Carlos afirma que as próximas três edições serão no Parque da Gameleira em Belo Horizonte, sempre no final de junho.

 

Participaram deste mega evento do Leite 80 empresas fornecedoras de insumos e maquinas para a cadeia produtiva do Girolando, que vai desde rações, equipamentos para ordenha, balanças, centrais de inseminação artificial e todo tipo de insumos agropecuários. Entre criadores e fornecedores somam mais de 150 expositores. Participaram também, em menor escala, criadores das raças Guzerá, Jersey e o puro Holandês, que produzem leite e sêmen para inseminação. Mas a raça predominante no evento foi Girolando.

 

O estado possui núcleos de criadores e um dos mais importantes fica em Belo Horizonte, reunindo cerca de 90 criadores, a maioria deles especializados em reprodução animal que oferecem semens com alta tecnologia. Carlos Adolfo preside o núcleo Girolando das Gerais conta que a raça é altamente produtiva. “Só este grupo de 90 produtores consegue produzir 2.500 doses ano de sêmen seccionados. Este tipo de sêmen garante que 85% dos embriões serão fêmeas”.

 

Tudo isso é possível graças à tecnologia embarcada e anos de pesquisa que transformou o cruzamento do gado zebuíno indiano e o gado taurino, europeu nesta espécie genuinamente brasileira que é bem mais resistente e propicia para a produção de leite em larga escala considerando o clima do país e sua extensão territorial.

 

O médico Wander Campos divide seu tempo entre o hospital Life Center em BH onde atua como especialista no aparelho digestivo, com suas duas fazendas na Zona da Mata Mineira, nas cidades de Guarani e Piraúna. Ele produz leite e trabalha também na genética bovina na Fazenda Serra Moreno que produz 600 litros de leite por dia e cerca de 120 matrizes animais por ano com grau de sangue 5/8 – cinco oitavos. “Isso significa que o resultado do cruzamento das duas raças produz uma genética que em termos proporcionais carrega sangue holandês e em proporção de cinco da raça holandesa e três vezes a raça gir, resultando em um animal de alto desempenho”, explica o especialista.

 

O médico ensina como identificar os tipos de gado: ”Os animais com um cupim, ou elevação entre a cabeça e o tronco são os Zebus, de origem indiana, Hindu. Já os que não possuem o cupim entre a cabeça e o tronco do animal, são da raça taurinica, com origem na Europa, aqueles que produzem carnes mais macias, mais leite e cuja precocidade é também vital para a produtividade”, conclui.

 

Ricardo Catão é engenheiro em BH, atua no ramo da construção civil, é o proprietário da RC Engenharia, possui uma Fazenda em Jequitibá-MG, onde cria o gado Girolando e produz cerca de 1.500 litros de leite por dia. A Fazenda do Moinho tem touros em central de inseminação, que produzem sêmens de alta qualidade, vendidos para criadores de Girolando com alto desempenho genético. Os 1500 litros de leite que ele tira diariamente são repassados para cooperativas que abastecem a Região Metropolitana de BH. Ricardo lembra que nos inicio era hobby, mas depois virou um negócio que ele cuida com carinho.

 

Henrique Rocha é gerente nacional de vendas da empresa Agener União, divisão veterinária da União Química Farmacêutica, empresa Brasileira com mais de 80 anos de história e que fornece medicamentos para produtores rurais e criadores de gado leiteiro. A empresa é uma das patrocinadoras oficias do Megaleite. Ele conta que o evento ganhou qualidade quando foi transferido para Belo Horizonte. ”Embora a infraestrutura do parque de exposições de Uberaba seja melhor tecnicamente, aqui na capital os negócios ficaram maiores”, relata o gerente que também é criador de Girolando.

 

Ele conta que a feira é um local de congraçamento, pois recebe as famílias que aproveitam o evento para circular pela cidade. “Enquanto estou aqui com meu filho de cinco anos, minha esposa está fazendo compras nos shoppings de BH, e isso não tem em Uberaba, essa variedade de programas possíveis de serem feitos, enquanto o evento acontece,” conclui.

 

Carlos Magno é fornecedor de feno, gerente da Agroforn e participa do Megaleite desde a sua primeira edição há mais de 16 anos. Ele conta que adora vir a BH para visitar o Mercado Central. “Sinto-me em casa quando entro naquele local, não tem outro igual em lugar nenhum do Brasil”, conta com satisfação. Os números do setor são expressivos. Carlos Adolfo que é um dos diretores do Núcleo Girolando das Gerais revelou que somente o grupo com 90 produtores entregam para as cooperativas quase 20 milhões de litros de leite por ano, movimentando praticamente R$30 milhões só em leite, sem contar com os sêmens que movimentam quantias expressivas, pois são produzidos buscando a melhoria da raça, exigindo alta tecnologia genética.

 

Comissão do Agronegócio da OAB presente do Megaleite

Manoel Mário de Souza Barros é Presidente da Comissão do Direito do Agronegócio da OAB/MG e Diretor do Agronegócio da Câmara Internacional do Agronegócio. Ele esteve na Megaleite e lembra que depois do café, o leite é o produto mais importante da cadeia produtiva do agronegócio de Minas, e por via de consequência, cria outros produtos de alto valor agregado na rede, através dos derivados, como iogurte, queijos, manteiga, e produtos lácteos.

 

O advogado destaca ainda que a Instrução Normativa 077/2018 do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, regulamenta o acondicionamento, transporte, manuseio, estado de conservação do leite cru, dando transparência e segurança ao setor. “Com isso o consumidor ganha, pois a regras fitossanitárias garantem maior qualidade e procedência dos produtos derivados do leite”. O representante da OAB/MG chama atenção para o fato da Megaleite apresentar grande potencial do setor, não só na produção, mas como oportunidade para agricultura familiar, gerando renda e trabalho para todos, e fixando o trabalhador no campo.

 

Manoel lembrou o papel do governo estadual dando credibilidade ao evento e estimulo para essa importante cadeia produtiva. “O apoio do Governador Zema neste momento de consolidação do Megaleite em BH é decisivo, pois ele é de Araxá, uma região que abriga grandes produtores”. O advogado ainda faz menção ao brilhante trabalho da Secretaria Ana Valentini. “Ela fala a língua do povo, com objetividade e desenvoltura”, conclui o representante da OAB/MG no agronegócio.

 

Vice presidente do Cruzeiro é produtor de gado e esteve no Megaleite

Não faltaram surpresas no Megaleite, o vice presidente eleito do Cruzeiro Esporte Clube, Ronaldo Granata, é produtor de gado no Mato Grosso e esteve visitando o Megaleite. “Um evento desta dimensão com participações internacionais, de 10 países, não pode passar em branco, estou aqui na condição de produtor rural, e cada ano percebo que o evento fica melhor, maior e com grandes novidades”. Na opinião do produtor rural o Megaleite é uma oportunidade de BH mostrar seu potencial neste segmento. “Estou sempre atento aos leilões de sêmen e de matrizes de girolando pois a genética avança ganhando em qualidade e produtividade dos animais”, destaca.

 

Ronaldo Granata está sendo cotado para ocupar a presidência do Cruzeiro, pois é o único da atual diretoria que não tem seu nome envolvido nos episódios revelados pelo programa Fantástico da Rede Globo em 26 de maio, e que mergulhou o time celeste em uma crise sem precedentes. “Estou pronto para assumir se for convocado e ajudar a tirar o Cruzeiro deste momento delicado da nossa história. A torcida cruzeirense não merece ver o time em paginas policiais”, conclui o produtor rural e vice-presidente eleito do Cruzeiro Esporte Clube.

 

Hotelaria de Belo Horizonte lotou com o Megaleite

Quem está comemorando a realização do Megaleite pela quarta vez em BH é a hotelaria, que nos quatro dias de evento, recebe hospedes de várias partes do Brasil e do exterior. Rodrigo Cançado é diretor do Intercity BH Expo, hotel oficial Megaleite. O hotel é o terceiro maior empreendimento da cidade com 286 suítes, e alcançou 80% de ocupação só com participantes da Megaleite. “Pela segunda vez somos hotel oficial do evento, e estamos muito satisfeitos em receber participantes brasileiros e estrangeiros, o evento é um dos mais importantes e traz negócios para BH”. Rodrigo conta que o Intercity tem sido hotel oficial de praticamente todos os grandes eventos que ocorrem no Expominas ou no Parque de Exposições da Gameleira, graças a sua estrutura de hospedagem e de eventos paralelo. O hotel possui centro de convenções que permite realização simultânea de até quatro eventos.

 

Rodrigo conta que o projeto de construção do hotel naquele local, na Av. Amazonas ao lado da Concessionária Pisa, previa atender o público que deseja proximidade com os espaços de eventos em local estratégico da cidade, próximo a duas grandes universidades, PUC, CEFET e ao próprio Expominas. “O hotel fica bem posicionado em relação ao Anel Rodoviário, Via Expressa e Av. Amazonas, os três são grande corredores de tráfego que dá opção ao hóspede de não correr riscos de ficar preso no trânsito”, relata o empresário. Ele destaca que vários hóspedes preferem hospedar em BH, mesmo estando a trabalho em Contagem ou Betim e lembra de um grande diferencial: “O Hotel Intercity disponibiliza transfer para o Expominas em vans, facilitando o deslocamento, e conectando o hotel aos eventos, isso nenhum outro hotel tem” conclui o hoteleiro.

 

FONTE: https://www.osnovosinconfidentes.com.br/mmegaleite-fecha-com-r30-milhoes-em-negocios/

Compartilhe: